O dia em que eu vi mais um ex na rua

Estava a caminho do trabalho, na Av. Amazonas, e parei atrás de um carro que tinha o adesivo do Flying Spaghetti Monster no sinal. Ali, na altura do Prado. Achei aquilo muito legal e me lembrei que eu tive um carro com aquele adesivo. Lembrei de como foi difícil colar aquele adesivo com tantas partes fininhas e soltas 🙂

Aí eu vi no vidro do carro um outro adesivo; religioso. E bateu um sentimento estranho ao ver aquilo. “Como assim, a pessoa tem estas duas manifestações tão antagônicas uma tão perto da outra‽”, pensei. Foi então que eu me atentei para a placa. E aí tudo veio como quando a gente entende uma piada, sabe? Eu fiquei rindo alto feito bobo sozinho no carro. 

Aquele carro que estava na minha frente havia sido meu! Meu ex-carro 🙂

Isso já aconteceu outras vezes, devo dizer. Só que hoje foi muito mais engraçado. Compare.

Há um tempão eu tive um Renault Twingo. Eu gostava muito dele. Quando o vendi, fiquei meio saudoso. Dois dias depois eu o vi na rua e foi uma sensação muito legal. O mesmo aconteceu quando vi uma caminhonete que tive novamente na rua. Sentimento legal de nostalgia.

Recentemente eu me encontrava muito com um Palio que tive. Parece que a pessoa que o comprou trabalha (ou trabalhava?) perto de minha casa. Neste caso do Palio eu ficava especialmente saudoso e ao mesmo tempo chateado porque a pessoa retirou o adesivo Vote For Pedro que eu tinha colocado nele. Sempre que via este carro eu ficava pensando se a pessoa sem coração que retirou o adesivo estava tratando bem aquele carro cujo banco eu deixei manchar com óleo que escorreu de uma pizza de berinjela / abobrinha comprada na Pomodori…

Enfim… Foi ótimo rever aquele Fiesta. E foi bom ver aquele adesivo lá, colado até hoje. Certamente a pessoa que colocou o adesivo “FÉ” nele, nem sabe o que o FSM é. Espero que continue assim, para que quando eu o encontre novamente, ria sozinho feito bobo.

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *