Questão de nostalgia ou as coisas realmente estão piorando?

Antes da pandemia, conversava com meu cunhado sobre a qualidade das coisas que compramos hoje frente ao que tínhamos no passado. Em específico, referia-me a jogos da Estrela. Lembro-me que o jogo Combate era muito bacana, com peças de qualidade e tudo o mais. Meus filhos ganharam este jogo recentemente e as peças são mal feitas, num plástico de péssima qualidade e com adesivos mal cortados. Para referência, minha esposa mantém desde sua infância um jogo Palavras Cruzadas, cujas peças são de qualidade bastante superior ao que vemos hoje. A sensação que fica é que as coisas de outrora tinham qualidade superior.

Mas enfim. Sobre os brinquedos, falo outra hora. Minha atenção hoje vai para material escolar. Mais precisamente quero falar sobre produtos Faber Castell.

No início do ano, comprei o material escolar para meus filhos e , diferentemente dos anos anteriores, quando, em janeiro, eu tinha uma sensação de ter saído com vantagem comprando tudo bem baratinho e, logo em março já estava passando raiva com a qualidade dos produtos comprados, resolvi fazer diferente.

Todo material foi comprado pensando em qualidade antes do preço. Isso implicou pagar quase o dobro do preço nos lápis de cor, apontadores e correlatos. Escolhi a marca Faber Castell pois pra mim era referência de produto de qualidade. Ainda me lembro de ter falado com a minha mulher: “pagamos mais caro desta vez, mas não vamos ter dores de cabeça com lápis que racham, não apontam, ou que simplesmente não tem cor….

Ledo engano.

Hoje, estava auxiliando minha filha numa tarefa e resolvi apontar os lápis do estojo dela. Apontador e lápis Faber Castell. Comprados no início do ano. Apenas vejam o desastre:

Eu não sei nem o que dizer.

Estava apontando o lápis e vi que ele simplesmente rachou. Dentro do apontador. A coisa mais estranha.

Você pode argumentar que este é um problema localizado, de uma peça apenas. Não sei dizer. Pode até ser que seja. Mas fato é que eu tenho passado muita raiva com este material. E, em minha infância, quando tinha lápis da marca Labra e vez por outra Faber Castell, jamais me lembro de isso acontecer enquanto apontava lápis.

Além disso, os lápis não parecem ter a cor de qualidade (além do problema da fragilidade), sabe? Parece ser produto bem inferior, mesmo.

Já vi que ano que vem precisarei mudar novamente a estratégia na compra do material escolar. Se alguém que ler este texto tiver alguma sugestão, sou todo ouvidos. Apenas sei que não caio mais no conto do vigário e jamais comprarei Faber Castell novamente.

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *